Paulo Mercadante: Ciência, Filosofia e Direito

Gomes de Souza: seus trabalhos.

Posted in Ciência by pmercadante on 23/01/2010

Em 1857, Gomes de Souza publicou uma coleção de memórias de análise e de Física-Matemática com mais de 300 páginas, apresentando, então pormenores do que pretendia.

O primeiro texto diz respeito à Memória sobre métodos gerais de integração, esclarecendo que o problema exposto era aplicado à integração das equações lineares, de qualquer ordem, a duas variáveis; elas se apresentam lineares, sendo outra aplicável às equações não-lineares.

Estudos posteriores sobre a determinação das constantes que entram nas integrais das equações diferenciais em função do estado inicial do sistema, foram desenvolvidos sob métodos gerais de integração. Acrescentamos ainda outra memória sobre um teorema de cálculo integral e suas aplicações à solução de problemas da Física-Matemática. Este último, sobre a composição das funções arbitrárias nas integrais das diferenciais parciais, é um daqueles poucos exemplos por expressarem verdades que nunca poderão ser gerais, se ocorrer propagação do movimento nos meios elásticos, resolvendo de maneira facílima questões até então intratáveis pelas suas dificuldades analíticas.

Há, por fim, Memória sobre a determinação das funções desconhecidas que entram sobre sinal de integração definida.

Tal relação foi apresentada pelo próprio Gomes de Souza, consoante aditamentos de que Bacelar Portela tratou, em sua obra publica em São Luiz do Maranhão, em 1975. Há, em verdade, 15 trabalhos preparados por nosso matemático, alguns deles desaparecidos nos arquivos em Paris, onde ele estudou e conduziu sua rota de atividade.

Esclarecendo a matéria, o pesquisador dificilmente encontraria algo novo no uso dos processos convergentes. Ela estava, a rigor, muito explorada. O histórico de seu trajeto de pesquisa tem origem na circunstância de Abel, em 1828, ter estigmatizado as séries divergentes como obra do Demônio. O próprio Cauchy afirmou com prudência: “tenho me visto obrigado a admitir certas proposições que podem parecer muito fortes; por exemplo, numa série divergente não tem soma”.

A insistência de Gomes de Souza em utilizar o processo, quando todos o condenavam, porém naõ o abandonando, já denunciava a visão genial do pesquisador. Trata-se da época, como observou Bacelar Portela, que por pouco, se houvesse mais audácia do pesquisador, o teria consagrado como um dos precursores da matemática do Século XX. Tanto assim que, depois dele, outros não tão bem dotados, obtiveram resultados seguros.

Justifico-me, sendo mero diletante da ciência dos números, pela intromissão em matéria que devia ser abordada pelos especialistas, mas deve ser ressaltado, num aspecto melancólico de ter o próprio Gomes de Souza também se dedicado à política, onde a retórica é a arma principal de combate ao arrepio do Estudo das ciências puras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: